Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2019

Treze dias que abalaram o mundo

Imagem
Um dos episódios mais tensos da Guerra Fria envolveu não só EUA e URSS mas também a ilha de Cuba, “pivô” do desentendimento entre as duas superpotências.

Em 14 de outubro de 1962 um avião espião norte-americano sobrevoou Cuba e acabou descobrindo — e tirando fotos que comprovavam — uma série de construções que, aparentemente, pareciam com uma nova instalação militar na ilha. Ao observarem melhor as fotos, os analistas declararam que a construção não só era uma instalação militar como estava preparada para receber e lançar diversos mísseis nucleares.

Os soviéticos eram os responsáveis pela construção — porque Cuba não tinha tecnologia para tal empreitada —, e aí a coisa ficou realmente complicada nas já frágeis relações diplomáticas entre EUA e URSS, representados, na época, pelos presidentes John Kennedy (EUA) e Nikita Kruschev (URSS).
A instalação dos mísseis foi uma retaliação?Quando analisamos a Crise dos Mísseis, normalmente nós citamos a instalação dos silos em solo cubano e o perig…

Rosa Parks e a eterna luta contra o racismo

Imagem
Além de lutadora, ela ainda envelheceu como uma senhora fofinha!
Mesmo após a Constituição Norte-Americana de 1776 afirmar que “todos os homens são iguais”, ser negro e morar nos estados do sul dos EUA até meados da década de 1960 podia ser considerada uma verdadeira luta.

Os negros tinham seus direitos civis estipulados desde a abolição da escravatura e o fim da Guerra Civil Americana, mas o preconceito nos estados do sul ainda era capaz de legislar a favor da segregação racial.

O cenário era bem parecido com o sistema de apartheid na África do Sul, onde existiam leis que separavam negros e brancos. Alguns estados do sul dos EUA, por exemplo, tinham leis específicas que estabeleciam que negros deveriam andar na parte de trás dos ônibus e, sempre que o veículo estivesse cheio, tinham que ceder lugar aos brancos. E foi a partir de uma situação como esta que nós começamos a falar de Rosa Parks.
Rosa e a luta pelos direitos civisRosa Louise McCauley, também conhecida como Rosa Parks, nasceu …

As ordálias da Idade Média, ou “o juízo de Deus”

Imagem
Representação de um combate judicial em Augsburg, datado do ano de 1409.

A origem das ordálias, ou ordálios, não remonta da época do Império Carolíngeo, como normalmente nós ouvimos por aí, mas ela é uma prática antiga que acabou ficando famosa durante a Idade Média — por isso a associação com o Império Carolíngeo.

A ordália consistia em submeter o(a) acusado(a) a um desafio para que ele(a), assim, provasse sua inocência, pois acreditava-se na intervenção divina durante a provação proposta, ou seja: se o(a) acusado(a) fosse inocente, Deus intercederia como em um milagre e a pessoa não sofreria as consequências do desafio imposto pela ordália.

E antes que alguém critique a Igreja Católica por esta prática, saibam que muitos papas e reis chegaram a condenar esta forma de justiça.
O juízo de Deus: As ordálias como prova de culpa ou inocênciaErroneamente as pessoas tem o costume de associar as ordálias à Idade Média ou ao catolicismo, mas a prática de submeter uma pessoa acusada de algum crim…

O Jesus Histórico

Imagem
ATENÇÃO: neste texto não estamos tentando discutir FÉ, e sim HISTÓRIA, ok?Historicamente falando, quem foi Jesus de Nazaré? Aliás, a pergunta que muitos historiadores – e, por que não teólogos? – espalhados pelo mundo fazem é: “Jesus realmente existiu?”

Segundo a Bíblia, sim, sem qualquer sombra de dúvida. Mas o livro não é considerado pelos historiadores como uma fonte muito boa para pesquisas, já que com o passar dos séculos seu texto “original” sofreu diversas alterações, sempre visando um melhor entendimento por parte dos fiéis. Além disto, os Manuscritos Apócrifos de Nag Hammadi já mostraram que a fonte bíblica não é lá muito confiável.

Na pesquisa histórica os profissionais costumam deixar de fora os axiomas teológicos por motivos óbvios. Não dá para misturar as duas coisas. Mas então quem foi Jesus? Reparem que não desejamos falar daquele Jesus milagreiro da Bíblia, mas sim do homem mortal, político, judeu e revolucionário que talvez tenha vivido na Galiléia no início do que norm…

O processo de Independência do Brasil

Imagem
Se nós olharmos apenas o ato da proclamação, o simbólico Grito do Ipiranga, e alguns fatos importantes que ocorreram antes e após a proclamação, a independência do Brasil parece um evento um pouco vazio, concordam? Tem um Dia do Fico aqui, um Cumpra-se ali e um Reconhecimento da independência acolá. Na verdade, o processo de independência começou com a vinda da Família Real em 1808, fugindo da invasão das tropas de Napoleão a Portugal.
A Família Real no BrasilA vinda da Família Real deve ser citada neste momento como o primeiro motivo que levou à independência do Brasil, mesmo que de forma superficial. É bom lembrar que não era a intenção de D. João transformar o Brasil em um país independente quando aceitou a ajuda inglesa e atravessou o oceano Atlântico, mas o fato trouxe ao Brasil mudanças significativas.

Assim que chegou ao Brasil, D. João abriu os portos às nações amigas e estabeleceu tratados de comércio, liberando a entrada de produtos não-portugueses no Brasil — antes existia o

A lenda da origem dos Incas

Imagem
Mama Ocllo e Manco Capac.
Um dos povos pré-colombianos mais importantes da História não tem uma origem 100% conhecida, mesmo após décadas de pesquisas histórico-arqueológicas conduzidas por diversos profissionais através dos anos.

Muitos historiadores afirmam que os incas teriam descendido de um grupo étnico conhecido como taipicala e migrado para a região próxima a Cuzco e dos vales dos rios Urubamba e Huatanay por volta do ano 1200.

Esta é a definição da “origem” dos incas mais aceita hoje em dia, até mesmo pelos achados arqueológicos que confirmam estas informações e provam que houve uma migração na época; e que a partir desta migração a civilização inca se desenvolveu na região.
Mas é óbvio que não existe apenas a definição “histórica”, baseada em achados arqueológicos. Os próprios incas tinham uma história que contava suas origens e que era transmitida de forma oral ou através de gravuras nas cerâmicas, nas paredes dos templos e nas peças de ouro.

Na verdade, existem duas versõe…

Heróis da Segunda Guerra Mundial

Imagem
Turminha da R.A.F.
No meio de tantos atos de coragem e bravura — e no meio de tantas balas e bombas voando para todos os lados — é relativamente fácil ser considerado um herói. Temos centenas, até mesmo milhares de exemplos que podemos citar apenas usando como palco a Segunda Guerra Mundial, entre 1939 e 1945.

Mas para este texto não ficar muito extenso, vamos fazer uma lista contando apenas com alguns nomes e episódios. Isto não quer dizer que este ou aquele herói (ou grupo de heróis) é mais importante que outro. É apenas uma lista com alguns nomes que ficaram marcados para sempre no teatro da guerra.

Alexander Matrosov, o “escudo” Russo sendo russo...
Este rapaz retratado no desenho acima foi um herói, mas se eu contar o que ele fez e você falar “esse cara foi maluco, doido varrido!” eu não irei recriminá-lo.

Matrosov era um soldado de infantaria soviético que, durante a batalha pela vila de Chernushki, em 1943, resolveu pular na frente de uma metralhadora alemã, bloqueando-a e auxiliando…

Os Hindus

Imagem
Crianças vestidas para o Festival Ram Navami [foto: Dibyangshu Sarkar/AFP — fonte]
A origem de um dos povos mais importantes da Ásia remonta de meados do segundo milênio antes de Cristo, quando os dravidas iniciaram a ocupação da região da Índia conhecida como Pendjab — ou Punjab, a “região dos cinco rios” —, próximo ao rio Indo e, assim como os harappeanos, que viviam no Paquistão, alcançaram um relativo desenvolvimento a partir do domínio das técnicas de construção de canais de irrigação e consequente controle das cheias dos rios da região.

O termo “hindu” é antigo e tem origem persa, que significa “o (povo) que vive do outro lado do rio (Indo)”.

As cidades dravidas tinham ruas largas e casas de pedras que contavam com saneamento, além de grandes espaços voltados para a plantação. Eles também tinham um forte comércio com os povos vizinhos. Mas por volta do século XVIII a.C. os arianos invadiram a região dos cinco rios, escravizaram o povo dravida e a partir desta invasão muitos histori…