Mensagens

Canudos: loucura, utopia ou necessidade?

Imagem
Quando falamos em Canudos, logo lembramos de Antônio Conselheiro e das brutais investidas dos soldados da República que destruíram o povoado de Belo Monte , que estava localizado dentro da fazenda de Canudos , na Bahia, próximo às fronteiras dos estados de Pernambuco e Sergipe, às margens do rio Vaza-Barris . Mas, via de regra, nós quase-nunca discutimos as condições que levaram Canudos àquela grandiosidade toda que até hoje causa admiração e espanto a quem procura estudar mais a fundo a história do povoado e de seus habitantes. Para isso, primeiro vamos tentar entender, nem que seja só um pouco, quem era esse tal de Antônio Conselheiro… Conselheiro: beato e monarquista Ele nasceu em 13 de março de 1830, na Vila do Campo Maior de Quixeramobim, no Ceará. Seus pais o batizaram de Antônio Vicente Mendes Maciel, mas a história o conhece como Antônio Conselheiro , o beato que teve uma infância marcada por várias agressões do pai alcoólatra e da madrasta, sem contar as inúmeras dificuld

As aventuras de Hans Staden

Imagem
Hans Staden nasceu na Alemanha (Homberg, 1525) e ficou conhecido por publicar um livro intitulado “ Warhaftige Historia und Beschreibung eyner Landtschafft der wilden, nacketen, grimmigen Menschfresser Leuthen in der Newenwelt America gelegen ”… que em português recebeu o singelo título de “Viagem ao Brasil”. [ e nem me perguntem a tradução e muito menos a pronúncia do alemão, por favor! ] Neste livro, que ajudou bastante no imaginário europeu sobre o “Novo Mundo” por muito tempo, Hans Staden conta como foram suas duas viagens ao Brasil, na primeira vez a serviço dos portugueses e na segunda a serviço dos espanhóis. A primeira viagem, em janeiro de 1548, ele foi até a capitania de Pernambuco para carregar o navio de pau-brasil e retornar a Portugal. A embarcação também trouxe degredados para povoar as terras portuguesas d’além-mar e a tripulação tinha ordem de combater qualquer embarcação francesa que fosse encontrada na costa brasileira. Só que ao chegar em Pernambuco a tripulação

Por que assistir o filme chileno “No”?

Imagem
Um dos melhores filmes de 2012 é, sem dúvida, o chileno “No” (Não). Aclamado no Festival de Cannes e indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro, a obra do diretor Pablo Larraín conta — inserindo alguns personagens fictícios na realidade da época — como foi a campanha do plebiscito que tirou do poder o ditador Augusto Pinochet, em 1988. Para explicar melhor, vamos falar rapidamente do período da Ditadura chilena para poder entender o contexto do filme. A situação política e social chilena O Chile, assim como todos os países da América Latina na segunda metade do século XX, estava passando por um período político turbulento. Políticos de esquerda tinham voz ativa, disputavam eleições e chegavam até a ganhá-las. Mas independente da orientação política, as decisões do Poder Executivo que beneficiavam o povo eram tratadas como atos “de esquerda”. E quem era de esquerda, “comunista”, corria sério risco de ser considerado um “revolucionário perigoso”. E revolução naquela época lembrava

Como foram construídas as pirâmides do Egito?

Imagem
Este texto foi “resgatado” do antigo HZ e respondia a uma pergunta do leitor Roberto Matos: Boa Noite, Meu nome é Roberto e sou muito curioso quando se trata deste pais maravilhoso que é o Egito, sou totalmente leigo no assunto, portanto se minha duvida for boba eu peço desculpas kkk… mas enfim nas construções das piramides como se fazia a arquitetura? Já que não tinha evolução alguma em maquina ou algo do tipo? E a outra duvida porem a mais fascinante são de pragas e lendas sobre os faraós, alguma dessas lendas tem relatos que aconteceram de fato? Vamos por partes. Primeiro, a pergunta sobre a construção das pirâmides egípcias eu poderia responder da seguinte forma: Brincadeiras à parte, vamos ao que interessa: Como as pirâmides foram construídas? A verdade é que ainda NÃO existe uma confirmação oficial de como os egípcios colocaram de pé a única das Sete Maravilhas da Antiguidade que conseguiu sobreviver ao tempo e está de pé até hoje. O conjunto de pirâmides de Gizé chama atenção

Maquiavel

Imagem
Niccolo di Bernardo Machiavelli (Florença, 3 de Maio de 1469 a 21 de Junho de 1527), ou como nós o conhecemos, Nicolau Maquiavel , é considerado por muitos um filósofo, diplomata, historiador e cientista político. É também considerado um dos principais pensadores — talvez até mesmo o fundador — da ciência política e da arte de governar. Maquiavel viveu o Renascimento italiano, em uma época que a Península Itálica ainda estava dividida em reinos, repúblicas e ducados, além dos Estados Pontifícios, controlados pelo clero. Os cinco principais eram: o Ducado de Milão, a República de Veneza, a República de Florença, o Reinado de Nápoles e os já citados Estados Pontifícios. Mais ou menos como no mapa abaixo: Na época de Maquiavel havia o interesse pela implantação de um Estado absolutista na península, mas o poder era muito fragmentado, apesar da ilegitimidade da maioria dos Estados. Como tirar do controle os homens que comandavam Veneza, por exemplo, cidade com grande comércio, que tinha

A Guerra do Yom Kipur

Imagem
Após a Guerra dos Seis Dias , que ocorreu em 1967 com esmagadora vitória israelense, a situação do Oriente Médio era a seguinte: Israel espalhou sua população e suas forças militares na Península do Sinai, nas Colinas de Golan e na Cisjordânia, territórios ocupados ao final deste primeiro conflito. Só que os países de maioria islâmica na região estavam cada vez mais furiosos com a presença dos israelenses controlando a Palestina e os territórios citados. O tempo passou mas o clima de tensão continuou presente entre as nações. Em 1° de outubro de 1973 o Egito e a Síria decretaram estado de alerta máximo ao longo de suas fronteiras e a Síria movimentou tropas até a fronteira com Golan. Aos israelenses, a medida apenas soou como retaliação a um episódio ocorrido em 13 de setembro do mesmo ano, quando 13 aviões de combate sírios foram abatidos pela força aérea de Israel. Assim, o chefe do Estado-Maior das Forças de Defesa de Israel, David Elazar, determinou o deslocamento de uma brigad

A Guerra dos Seis Dias

Imagem
Desde o fim da Segunda Guerra Mundial em 1945 e da criação do Estado de Israel em 1948 que o Oriente Médio vive em uma constante tensão bélica por conta das inúmeras discordâncias entre os povos da região — que já viviam ali há séculos — e os israelenses. E a Guerra dos Seis Dias não foi apenas um fato isolado. Ela está dentro deste contexto e faz parte dos fatos que marcaram a História recente do Oriente Médio. As tensões pré-conflito: Israel, quem diria, se sentiu acuado… A ONU reconheceu e estabeleceu as fronteiras do Estado de Israel em 1948. Antes, sem uma “pátria”, sem um local geográfico definido, os judeus tinham apenas o laço religioso como principal fator de união de todo o povo, desde a Antiguidade. Eles viviam espalhados por diversos países, mas mesmo um judeu nascido no Brasil ou em Angola, por exemplo, se considerava judeu antes de ser um brasileiro ou um angolano (aliás, é assim até hoje). A criação do Estado de Israel veio justamente para suprir esta lacuna pátria