Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2020

E se a África não sofresse a partilha?

Imagem
Desde o século XV, quando os europeus iniciaram sua expansão marítima para a América, Ásia e África, até meados do século XX que estes três continentes sofreram a ingerência do homem branco. Alguns locais mais, outros menos, mas o fato é que os interesses comerciais europeus influenciaram o mundo todo durante um bom tempo. E o continente africano talvez tenha sofrido as piores consequências deste domínio. De todos os processos imperialistas sofridos pela África, nenhum fez o continente sangrar tanto quanto o que nós historicamente denominamos de partilha. Mas antes de entender o que exatamente foi esta partilha, vamos ver como os países europeus enxergavam a África. Para os europeus, a África era apenas fonte de mão-de-obra barata e mercado consumidor formado por sub-humanos : Os europeus nunca esconderam que a África serviria apenas como área de exploração. O discurso real pode estar escondido atrás de uma cruz que batizava os infiéis ou de uma imposição ao fim do tráfico de escr

A rica e desconhecida América Pré-Colombiana

Imagem
No continente americano vários povos cresceram à sombra das três grandes civilizações pré-colombianas. Estes três grandes povos – Incas , Maias e Astecas – chamaram a atenção dos europeus pela organização social, as grandes construções e a quantidade de metais preciosos ostentados principalmente pelas camadas mais altas destas sociedades. Mesmo assim, outros povos menos conhecidos também rivalizavam com os mais “famosos”. O problema é que as doenças trazidas pelos europeus, além da violência dos soldados, dizimou grande parte desta cultura. Até hoje, com o advento da internet, é difícil reunir informações confiáveis sobre estes povos, mesmo os que ainda tem descendentes diretos. Nesta revista, vocês encontrarão um apanhado geral de informações sobre os Manteñas, os Chachapoyas, os Chimus e os Chavin , quatro povos que tem a ver, direta ou indiretamente, com os Incas, a maior civilização pré-colombiana da América do Sul. Para ler a revista, basta clicar na imagem abaixo, acessar o

Os Etruscos

Imagem
A Península Itálica é o berço da civilização romana, mas antes dos romanos dominarem a região, a Península também abrigou os etruscos , um povo que, quando descoberto pelos gregos no século VIII a.C., impressionou pelo relativo desenvolvimento. Os gregos consideravam os habitantes da Península uns bárbaros, desprovidos de cultura, educação e desenvolvimento, por isso o espanto quando entraram em contato com o povo etrusco. Estima-se que entre os anos 1200 a.C. e 1000 a.C. este povo já estava estabelecido em diversas vilas no local onde hoje é a região da Toscana. Com o contato com os gregos a partir do século VIII, estas diversas vilas tiveram uma evolução mais acentuada, até chegarem ao nível de ter uma organização semelhante às das cidades-estado gregas. Nesta época os etruscos fundaram as cidades de Arezzo, Cortona, Perugia, Chiusi, Volterra, Tarquinia, Fiesole, entre outras, e expandiram cada vez mais seu território. Com o tempo o povo etrusco começou a rivalizar diretamente com g

Alexandre e seu legado

Imagem
Um dos maiores generais da História comandou seu primeiro exército aos 16 anos. Enquanto o pai, Filipe II, estava ausente em uma expedição militar para tomar a cidade de Bizâncio, na Turquia, o filho liderou uma luta contra os búlgaros, ao norte do reino da Macedônia, e venceu com relativa facilidade. Deste evento em diante, o mundo antigo conheceria Alexandre, o Grande. Macedônios versus Gregos Alexandre, nascido na cidade de Pela, na Macedônia, em 20 de julho de 356 a.C.,era o primeiro filho do rei Filipe II e de Olímpia, uma nobre muito devotada aos deuses. Portanto, ele herdaria naturalmente não só a Macedônia, como também os territórios gregos conquistados pelo pai, que iniciou a expansão do reino, mesmo que de forma tímida, quando Alexandre ainda era bem novo. Durante a infância Alexandre teve como instrutor o filósofo Aristóteles (a figura ao lado retrata Aristóteles, à esquerda e Alexandre). Dele, Alexandre certamente absorveu parte da inteligência lógica usada