As sete maravilhas da antiguidade


Listadas pelo poeta grego Antípatro de Sídon (provavelmente entre os anos de 150 e 120 a.C.), as “sete coisas dignas de serem vistas”, do grego “Ta hepta Thaemata”, as maravilhas foram construídas pelos homens em diferentes épocas da Antiguidade e entraram na lista do poeta grego pela beleza, grandiosidade e magnitude.

Estima-se que quando fez a lista, Antípatro teria visitado as sete construções, já que na época todas existiam dentro da extensão do mundo conhecido pelos gregos.

Infelizmente só uma das Sete Maravilhas continua de pé até hoje, então a maioria das imagens que ilustram o texto são na verdade representações artísticas das construções, ou seja, podemos ter várias versões da mesma construção espalhadas pela internet e pelos livros de História, ok? Ah, e estão numeradas apenas simbolicamente, não quer dizer que uma é superior à outra.

Vamos à lista:

1 — Estátua de Zeus em Olímpia

Era a única das Maravilhas que ficava na Grécia.

Construída no século V a.C. pelo ateniense Fídias, em homenagem ao senhor do Olimpo, estima-se que a obra demorou 8 anos para ficar pronta.

Feita de ébano e marfim, a estátua tinha 15 metros de altura e ficava no Templo de Zeus, em Olímpia.

Conta-se que a estátua teria sido levada para Constantinopla no século II e acabou destruída por um terremoto no ano de 462.

Deve ter dado um trabalho danado carregar uma estátua deste tamanho por uma considerável estrada.

2 — Templo de Ártemis


Localizado em Éfeso — atual Turquia — o templo construído em 550 a.C. pelo arquiteto cretense Quersifrão e por seu filho, Metagenes, era todo dedicado à Ártemis, deusa grega da caça e protetora dos animais.

Tinha exatas 127 colunas de mármore com 20 metros de altura; internamente era decorado com diversas obras de arte, entre elas uma estátua da própria Ártemis feita em ébano, ouro e prata.

Este templo foi destruído e reconstruído duas vezes. Na última, um ataque dos godos à cidade, no século III, pôs abaixo definitivamente a construção, que tem apenas uma coluna preservada até hoje. [foto]

3 — Farol de Alexandria


Construído por ordem do faraó Ptolomeu no ano de 280 a.C. pelo engenheiro grego Sóstrato de Cnido, o farol era uma imensa torre de mármore situada na ilha de Faros (aham, entenderam?), próxima ao porto de Alexandria, no Egito, ao lado oeste da grande foz do rio Nilo.

O farol também tinha instrumentos que assinalavam a passagem do Sol, a direção dos ventos e as horas.

No topo, do alto dos seus 130 metros — altura estimada, ok? —, à noite ardia uma grande chama que, com a ajuda de espelhos, chegava a ter sua luz observada a 50 quilômetros de distância!

O farol resistiu em pé até o ano de 1375, quando foi destruído por um terremoto. Recentemente, em 1994, mergulhadores descobriram restos do farol — blocos de mármore e estátuas que adornavam a construção — nas proximidades da ilha, o que atesta a grandiosidade da obra.

4 — Jardins Suspensos da Babilônia


Nabucodonosor II teria mandado construir os jardins em homenagem à esposa, Amitis, por volta do século VI a.C.

A grande construção ficava às margens do rio Eufrates, na Mesopotâmia (atual Iraque ) e é de todas as Maravilhas a menos conhecida, já que temos poucos relatos e nenhuma prova arqueológica que comprove a existência dos jardins.

O que sabemos, através dos poucos relatos, é que os jardins eram seis montanhas artificiais feitas de tijolos de barro cozido, com terraços superpostos, onde os babilônios plantavam árvores e flores. Calcula-se que a construção chegava aos 100 metros de altura, e provavelmente era utilizado também para observação dos astros à noite, assim como os zigurates da época.

5 — Mausoléu de Halicarnasso


Construído entre 353 e 350 a.C. em Halicarnasso — atual cidade de Bodrum, na Turquia —, a obra foi encomendada pela rainha Artemísia para homenagear seu irmão e marido, o rei Mausolo (entenderam de novo?).

Era descrito como um suntuoso monumento sustentado por 36 colunas, com quase 50 metros de altura. Ocupava uma área superior a 1200 metros quadrados. Acima da base erguia-se uma pirâmide de 24 degraus, e tinha no topo uma carruagem de mármore puxada por quatro cavalos. Dentro, o mausoléu abrigava as estátuas de Mausolo e Artemísia, além de outras obras de arte.

Foi construído por dois arquitetos, Sátiro e Pítis, auxiliados por quatro escultores: Briáxis, Escopas, Leocarés e Timóteo, todos gregos. A arquitetura da construção inspirou até algumas obras contemporâneas, como a Casa do Templo do Rito Escocês, em Washington [foto].

6 — Colosso de Rodes


O Colosso era um boss que o Kratos lutava no início do God of War II(*) uma gigantesca estátua do deus Hélio que foi colocada na entrada marítima da ilha grega de Rodes. Finalizada em 280 a.C. pelo escultor Carés de Lindos, tinha 30 metros de altura.

Segundo a História, a estátua foi construída para celebrar a retirada das tropas macedônias que tentaram conquistar a ilha lideradas pelo rei Demétrio, e o material utilizado para sua confecção foram justamente as armas abandonadas pelos macedônios no lugar, aproximadamente 70 toneladas de bronze! Haja exército para carregar isso tudo!

A estátua ficou de pé por apenas 55 anos, quando foi abalada por um terremoto e acabou desabando para o fundo da baía de Rodes.

Os habitantes acreditavam que eles tiveram alguma conduta que enfureceu o deus Hélio, o que causou o acidente e, orientados por um oráculo, deixaram a estátua no fundo da baía. Mesmo assim as águas claras ainda permitiam visualizar a estátua, e muitas pessoas iam até Rodes só para ver o monumento, que acabou sendo vendido pelos árabes como sucata, no século VII.

(*) sim, o Kratos luta contra o Colosso de Rodes no início do God Of War II...

7 — Pirâmides de Gizé


Resistindo ao tempo, às intempéries da natureza e aos turistas cupins da História, as três grandes pirâmides do Cairo seguem de pé mesmo após 4 mil anos de existência.

É bom citar que, quando eleitas pelo poeta Antípatro como uma das Sete Maravilhas, elas já existiam há 2 mil anos!

Construídas para abrigar os restos mortais dos faraós Quéops, Quéfren e Miquerinos, fazem parte do complexo conhecido como Necrópole de Gizé e, porque não, podemos considerar todo o complexo como a Maravilha, ao invés de somente as três pirâmides?

Existe inclusive um dúvida sobre qual é exatamente a maravilha: as três pirâmides, somente a pirâmide de Quéops — a maior de todas — ou o complexo inteiro. Quéops foi construída ANTES do restante do complexo, talvez por isso exista esta dúvida. Mas o grego Antípatro visitou o complexo inteiro, já concluído na sua época há séculos. Mas apesar a maioria das fontes citar as três pirâmides, outras citam só Quéops.

Fica à sua escolha (melhor ainda se puder visitar o local, concordam?).

Comentários

Publicar um comentário