Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2016

A expansão marítima europeia

Imagem
Importantíssima no período de transição da Idade Média para a Idade Moderna, a expansão marítima europeia durou entre os séculos XV e XVII, aumentou consideravelmente os impérios comerciais do continente e ajudou a transformar a Inglaterra na maior potência mundial até o fim da Primeira Guerra Mundial. Claro que esta é uma definição deveras apressada e muito superficial. Diria até mesmo um tanto quanto leviana! Mas antes de começar a explicar a expansão, vamos falar um pouco de como estava o continente europeu antes de tudo isso: A Europa pré-expansão marítima Devido à expansão árabe iniciada nos séculos VII e VIII e a posterior conquista da Península Ibérica, a divisão do Império Romano — e a consequente continuidade do Império Romano do Oriente e o fracasso da parte Ocidental — , a região central da Europa estava fechada . Já falamos aqui no HZ sobre a formação do feudalismo , a conquista da Península Ibérica, e lá no final do nós vamos colocar links para estes dois posts e outros

As Capitanias Hereditárias

Imagem
Assunto recorrente nas aulas de História do Brasil, as Capitanias representaram a primeira divisão de terras ocorrida na colônia, e foi executada pela Coroa portuguesa em 1534. O território foi dividido em 14 grandes lotes, em faixas que iam do litoral até a linha imaginária do Tratado de Tordesilhas, e f oram entregues a 12 Capitães Donatários , pessoas que faziam parte da pequena nobreza de Portugal. Os motivos para a Coroa portuguesa implantar o sistema de capitanias foram os seguintes: — Dificuldade em defender o território; — Decadência do comércio português nas Índias; — Falta de recursos lusos; — Promover uma colonização mais dinâmica. Podemos dizer que o modelo de divisão das capitanias era muito parecido com o sistema feudal. Mas, ao contrário do feudalismo — onde o poder muitas vezes estava bem fragmentado — as Capitanias respondiam a um poder central e absoluto, exercido pela Coroa portuguesa, que nomeava juízes que, por sua vez, fiscalizavam os capitães donatários. Os capit