Os grandes reis persas: Dario

Dario I

Dario governou o Império Persa de 521 a 486 a.C., sucedendo o legítimo rei Cambises II, filho de Ciro, O Grande. Mas Dario não era filho de Cambises II e, portanto, não teria direito ao trono pela hereditariedade. Mas era, por assim dizer, parente de Ciro e Cambises II, além de auxiliar o rei em suas campanhas militares.

Para entender como Dario chegou ao poder, precisamos falar do período entre o fim do reinado de Ciro e o início da ascenção de Dario, começando pelo reinado de Cambises II.

O legado de Ciro: o maior império jamais visto até então.

Cambises II herdou de Ciro em 530 a.C. um império muito grande, com fronteiras extensas e diversos povos vivendo dentro destas fronteiras. Além de também herdar toda a estrutura administrativa e o eficiente exército organizado pelo pai, o que dava uma certa tranquilidade ao imperador. Deste modo, Cambises se preocupou muito mais em expandir o território persa do que simplesmente aprimorar a atual organização do reino.

Apoiado por muitos soldados e contando com uma brecha de poder que causava uma certa divisão de forças no Egito, Cambises marchou com seus homens pelo deserto, apoiado por alguns nômades, até chegar no Egito; e após violentas batalhas os persas venceram os soldados do faraó Psamético, da XXVI dinastia, em 525 a.C.. Cambises II declarou-se faraó, inaugurando assim a XXVII dinastia.

Cambises teve muitos problemas, não só com os egípcios como com outros povos que viviam dentro do território persa, além de algumas rusgas administrativas com a alta cúpula que o auxiliava na administração. Dario ajudou Cambises a conquistar o Egito e, em 522 a.C., os dois voltavam para estancar uma rebelião no coração da Pérsia, quando Cambises morreu na viagem e Dario teve que tomar uma atitude enquanto militar de confiança do então imperador.

O golpe de Dario: afinal, ele era ou não parente dos Aquemênidas?

Dario I

Quando Cambises II morreu, seu irmão mais novo, Bardiya, reclamou o poder. Dario, ao saber de tal fato, buscou apoio da elite persa dizendo que Bardiya na verdade era o mago Gaumata, que estava se fazendo passar por Bardiya. Justificava tal informação dizendo que o próprio Cambises havia matado o irmão mais novo, para evitar qualquer possibilidade de perder o poder do império.

Parte da elite persa não acreditou na história e acusou Dario de tentar tomar o poder de Bardiya. Como Dario tinha um grande apoio do corpo militar, conseguiu sufocar qualquer tentativa de revolta e tirou Bardiya/Gaumata do poder.

Fica para a História a dúvida se Dario era realmente aparentado com os Aquemênidas, o que dava-lhe direitos sobre o trono persa na falta de um herdeiro legítimo, além da dúvida se Bardiya era realmente Gaumata ou… Bardiya.

O que sabemos é que Dario tratou de deixar escrito em vários lugares que tinha real parentesco com Ciro e Cambises. Uma das melhores fontes escritas sobre este fato é a Inscrição de Behistun, que diz o seguinte sobre Dario:

“Eu, Dario, o grande rei, o rei dos reis, o rei da Pérsia, o rei dos países, o filho de Histaspes, o neto de Arsames, o Aquemênida. Diz o rei Dario: Meu pai é Histaspes; o pai de Histaspes é Arsames; o pai de Arsames é Ariaramnes; o pai de Ariaramnes é Teispes; o pai de Teispes é Aquêmenes. Diz o rei Dario: Portanto nós somos chamados de Aquemênidas, desde há muito tempo temos nos extendido; desde há muito tempo nossa família tem sido de reis”

Verdade ou não, o fato é que Dario conseguiu chegar ao poder na Pérsia. Enquanto imperador, reformou o sistema administrativo e dividiu o reino em 20 satrapias, cada uma com um administrador, o sátrapa, escolhido a dedo por Dario e com sucessão hereditária. Estes homens de confiança garantiram a continuidade do crescimento interno do reino.

Dario também reformou o sistema de leis, criando penas mais rigorosas para os crimes de suborno de oficiais coletores de impostos e das violações administrativas. Mas cada satrapia mantinha uma certa liberdade jurídica e podia criar suas próprias leis.

Foi durante o reinado de Dario que a Pérsia passou por uma unificação do sistema monétário, com a implantação do dárico, cunhado em ouro e que virou a moeda oficial do Império Persa. Dario também incentivou o comércio externo do reino, liderando expedições para abrir novas rotas comerciais.

Quanto ao exército, instituiu o recrutamento obrigatório e melhorou o soldo dos militares. Também criou as divisões, formadas por dez mil homens, distribuídos em dez batalhões, cada um deles com dez companhias. Melhorou também os batalhões de arqueiros, facilitando as defesas das fronteiras.

Dario também mudou a capital de Pasárgada para Persépolis, iniciando grandes obras de infra-estrutura na cidade, além de ordenar a abertura da Estrada Real, que ia de Sardes, na Lídia – que fica na Ásia Menor – até Susa e Persépolis, já no centro do Império. Esta estrada tinha dezenas de postos de controle e era muito usada para transmitir mensagens pelo reino de forma bem rápida para os padrões da época. Cada posto de controle tinha cavalos descansados que faziam o revezamento na estrada e, cobrindo uma distância menor em um tempo razoável, conseguiam percorrer dezenas de quilômetros em apenas um dia.


Ruínas do palácio de Dario em Persépolis.

Assim como Ciro, Dario também respeitava a liberdade de culto dos povos que viviam sob suas ordens. Os egípcios tiveram liberdade para continuar com suas crenças e Dario ainda ajudou o povo a reconstruir e aumentar diversos templos à beira do Nilo. Os judeus também tiveram autorização de Dario para reconstruir o Templo de Jerusalém.

Muitas colônias gregas da Ásia Menor que estavam sob o domínio persa ficaram do lado de Dario durante as Guerras Médicas. Aliás, é por causa da Grécia que Dario sucumbiu:

Uma obsessão: a Grécia.

Cambises II era fascinado pelo Egito e Dario pela Grécia. Só assim para entender a fixação dos reis em conquistar estes dois lugares. Dario morreu tentando invadir a Grécia. Não foi em batalha, mas por causa de uma enfermidade, enquanto organizava uma nova campanha militar em que ele, pessoalmente – e já com 64 anos, em 486 a.C. -, comandaria o exército persa.

O que impediu Dario de investir contra os gregos na época determinada foi uma insurreição no Egito. Quando ia para aquela província para sufocar a revolta, acabou sucumbindo à enfermidade e morreu. A invasão da Grécia ficou a cargo de seu sucessor, Xerxes, no qual falaremos no próximo texto.

Mas nós já sabemos como foi o “sucesso” de Xerxes na campanha contra a Grécia, não?

Textos relacionados:

37 comentários para “Os grandes reis persas: Dario

  1. cara vc me confundiu todo. segundo flavio josefo o dario era tio de ciro. ai ciro teve um filho chamado cambises. ai ele diz que o proximo sucessor foi dario istaspes, filho de cambises. e agora como fica isso?? mas valeu por tudo!!!

    • Emerson, a ordem é a seguinte (segundo Heródoto):
      Astíages – Cambises (os dois imperadores dos Medos) – Ciro (“fundador” do Império Persa) – Cambises II – Dario – Xerxes
      Só que a gente não sabe exatamente se Dario era um aquemênida. Segundo o próprio, sim, e ele teria direito sobre o império com a morte de Cambises II, mas ele não é filho de Cambises II. E eu não usei a fonte do Flavio Josefo porque eu (veja bem, EU, esta é a minha opinião pessoal, ok?) acho que o Josefo é muito bom para falar da Palestina e das linhagens de lá, dos hebreus etc… não dos persas.

  2. o rei xerxes foi o rei que a rainha ester se casou? eles tiveram filhos?,xerxes tambem era conhecido como rei assuero?

    • Não. Esse Dario que você fala é um personagem bíblico. Nenhuma fonte histórica (senão a Bíblia) confirma sua existência.

  3. Olá vinícius, por favor me tire uma duvida : Como o Dario da Bíblia não tem fonte histórica se o relato de Esdras e Daniel dizem sobre a linhagem dos reis da Persia , e qual o papel dos medos com os persas para tomarem o reino dos caldeus

    • Marcia, a Bíblia não pode ser considerada uma fonte histórica muito confiável. Sério.

        • Me mostrem um exemplar da Bíblia escrito NA MESMA ÉPOCA EM QUE CRISTO VIVEU que eu mudo de opinião. Exemplar do ano 300 prá frente não vale, ok?

          A Bíblia que a gente conhece hoje é uma fonte oral que foi compilada 300 anos depois (principalmente o Novo Testamento, mas o Antigo também sofreu influência). Portanto, a escritura é passível de erros e contradições, além de influências das pessoas responsáveis por compilar as escrituras.

          Vamos ler sobre o primeiro “Concílio de Nicéia”, depois voltem aqui prá gente continuar o papo, ok? Dica do professor… ;)

          • Ok. você diz que a bíblia não é confiável. Mas ela possui muito mais manuscritos históricos do qualquer outro livro. Por exemplo o livro ilíada que narra que a guerra de troia possui apenas 600 manuscritos que compravam a sua existência, datadas de mais de 1000 anos do seu autor original, Homero. E se observarmos a maior parte da nossa história vem de cópias datadas de 1000 depois dos seus autores originais. E isso é comprovado por arqueólogos renomados. Quanto ao que vocês disse a respeito de a bíblia ter sido escrita 300 anos depois de cristo, existem manuscritos bíblicos e não bíblicos datados de 80 e 100 anos depois da morte de cristo. Muitas dessas pessoas não estavam interessados com a verdade bíblica, mas apenas escreveram como historiadores. E um grupo de arqueólogos encontraram a septuaginta cópia do antigo testamento que foi comprovada a sua data de 200 anos antes de cristo, e junto com ela manuscritos do novo testamento. Pode pesquisar e comprovar.

  4. Não consigo entender do reinado de assuero, pois gostaria de entender o antes quem reinava antes de assuero saído antes e entrando no livro de ester.

  5. vinicius vc pode me dizer pq de dario primeiro ser conhecido como rei dos reis e o pq de ciro ser conhecido como rei do mundo.

    • Creio que essa denominação é algo da época. Todo soberano que conquistou e governou outros povos em algum momento se julgava “rei dos reis”. Essa pergunta que você fez é sobre a frase que está escrita no Cilindro de Ciro, não é?

  6. ola vinicius.meu nome é Joao.Seria por sivel vc me dizer.se ciro e assuero é a mesma pessoa. ESTOU ESPERANDO SUA Resposta

    • João, vou repetir aqui o texto que te mandei via email (e que bateu na tua caixa e voltou com mensagem de erro, enfim…)

      O nome Assuero era utilizado para denominar Astiages (avô do Ciro)… naquela época, era comum cada povo denominar determinado monarca de uma forma particular, por isso existe esta “confusão de nomes” com vários personagens históricos. Se você utilizar a Bíblia como fonte histórica (a gente aqui não usa pois ela não é confiável) a confusão aumenta, principalmente no Velho Testamento, que tem um monte de nomes espalhados por toda a narrativa.

      Também já li que o nome “Assuero” se referia a Xerxes. Pode ser que (veja bem, não estou afirmando) que o nome “Assuero” seja a forma de um povo (neste caso, é bem provável que seja o povo hebreu) denominar os reis persas…

  7. porq os persas que dominaram todos os povos da asia e africa perderam para os gregos continentais sendo q os persas tinhão mais bem elaborada tecnologia militar??

  8. Creio que a bíblia é uma fonte histórica confiável, mas como fonte qualquer fonte histórica também está suscetível a erros ao longo de como foi escrita e seus testemunhos… cabe a nós estudarmos profundamente para discutir à luz de nosso tempo histórico… é a função do historiador!!!!

  9. Vinicius pode me dar uma ajudinha rápida aqui, rápida mesmo, to fazendo um trabalho de historia q ele ta pedindo os principais fatos, o históricos, “O império de dario (sataprias e darico) se eu copiar esse seu texto estará certo ?

  10. Olá, boa tarde!

    Achei muito legal esse debate, e a posição do sr. Vinícios Cabral por meio de suas respostas.

    Este apresentador é Doutor em Arqueologia. Por meio deste link, possui 3 partes de 20min cada, poderão verificar os detalhes provados acerca da veracidade do Novo Testamento.

    GJ

    • “Conquistou e não conquistou”… na verdade, ele deve ter conquistado pouca coisa, talvez no caminho para a Grécia… na verdade ele já tinha um império gigantesco prá cuidar, não tinha tanta necessidade de sair conquistando muita coisa. Prá leste e pro norte, as estepes e o frio não eram interessantes… sobrava a Grécia a oeste, mas ele não chegou a ameaçar os gregos, quem fez isso foi o Xerxes.

Comente, discuta, opine (mas sem escrever palavrão ou agressão verbal, ok?). Nossos comentários são moderados.